sábado, 27 de março de 2010

12 É necessidade de viver!

Me chamaram de egoísta e as palavras entraram como uma facada em mim.
Eu, que me acho boazinha, altruísta, solidária, tive jogado no cara qualidade que eu achei que não cabia em mim.
Ai, eu chorei (como eu sempre faço quando algo dói, alegra...emociona, enfim) e parei pra pensar. E eu não sou egoísta. Só passei tempo demais me anulando, me escondendo, vivendo as coisas que desejariam que eu vivesse e sendo o que sempre esperaram que eu fosse.
E de vez em quando, eu sou Eu.
Me entrego aos meus desejos, e a insanidade. De vez em quando, consigo o equilíbrio que todos buscam me atirando de cabeça nas loucuras. E nessa hora, eu não quero estar certa, não quero ser diplomática, eu quero ser feliz.
E eu posso ser chamada de maluca, de insana, de egoísta, mas se olharem bem de perto vão perceber...é só necessidade de viver.

E não cabe em mim, não cabe em ninguém essa força, essa vitalidade, essa coisa que esmaga tudo e eu sou obrigada a colocar pra fora.

segunda-feira, 22 de março de 2010

10 Onde vão parar?

Ganhei há alguns dias um livro, que me encantou desde o começo, apesar de eu ter relutado em iniciar a leitura porque achei que era meio gospel, meio auto ajuda. Mas me enganei.
Estou lendo "Carta entre amigos- sobre medo contemporâneos" do Padre Fabio de Melo e Gabriel Chalita, e me impressiono com a profundidade com que as suas palavras têm me atingido. Apesar de muita gente criticar (e eu também criticava quando via o Padre Gato Fábio de Melo naquela propaganda podre do CD na Globo,onde ele aparece falando com a Web Cam), eu me encantei com o gosto literário, musical e com o modo como ele desvenda a alma feminina em suas pregações e palestras. Claro que eu pegaria ele frouxo, claro que dúvido da sua masculinidade, claro que acho o show dele um absurdo de caro. Mas dê a Cesar o que é de Cesar, e o padre me carrega para lugares da minha alma não visitados com seu jeito de escrever, e mesmo que o que eu vá citar hoje não é dele, chegou até mim, graças ao seu livro que de Gospel e auto ajuda, não tem nada. Chico Buarque diz em 'A moça do Sonho': "Um lugar deve existir, uma espécie de bazar, onde os sonhos extraviados vão parar"
Então, se vocês encontrarem esse lugar, deve ter lá, uma mala, um baú, com meu nome. Favor, lacrarem e jogar no mar, porque os sonhos que eu perdi, são tão tolos, que não valem nem a pena pra sonhar.
Ta, mentira...se vocês encontrarem esse bazar, não comprem os meus sonhos, só mandem a eles lembranças, porque eu creio que os meus sonhos também têm saudades de mim. Porque eu voltaria pra eles... resgatando-os até, do fundo do mar.
Related Posts with Thumbnails