quinta-feira, 27 de maio de 2010

7 Sintonizando com a pobreza

Ficar sem carro é coisa do capeta.
Andar de ônibus é ser perseguida pelo Karma. E eu só não vou dizer o que a vida ta tentando fazer comigo porque se o meu pai ler, ficaria com vergonha de mim. Mas perguntem pro Chicuta, pq a vida já tentou fazer a mesma coisa com ele.
E se não bastasse td o sofrimento que é a pobreza bater a sua porta, cheguei no fundo do poço. O ÔNIBUS!
Ai, eu andei de ônibus e descobri algo que eu já tinha me esquecido: Motoristas de ônibus tem gosto musical duvidoso.

Será que dá pra devolverem minha vida? Não? então, seu puliça, devolve só meu carro vai...

quarta-feira, 26 de maio de 2010

4 Deise in Wonderland

"Como são intrigantes todas essas mudanças! Nunca sei ao certo o que vou ser no próximo minuto”

Alice no País das Maravilhas não deve ser assistido, nem lido. Deve ser saboreado, como algo estupidamente doce, que se engolido sem cautela, causará enjôo, mas é irresistível e não se pode deixar de beliscar. Alice no País das Maravilhas deve ser degustado, e eu estou me embriagando de seus diálogos incríveis, da forma linda e sensível como as confusões aparecem.

Já nos primeiros capítulos estou a pensar, como eu nunca tinha pensado nisso antes...

Já escolhi tantas frases que deveriam ter sido escritas por mim que é capaz de transformar as anotações em uma biografia, algum dia.

Impressionante que a pergunta mais importante seja "Quem é você", e que embora pareça mui simples, Não deve ser respondida sem pensar se você não é apenas o que gostariam que você fosse.



Agora eu entendo porque ela lembrou de mim quando leu.

Recomendo!

terça-feira, 25 de maio de 2010

6 Enquanto isso, no meu trabalho...

Senhora muito gentil comenta comigo:
"Sabe, aquele dia que eu vim aqui até falei pra minha filha: -Visse aquela moça do salão? Ela é gordinha, mas mesmo assim é bonitona."

Era pra ser um elogio?

segunda-feira, 24 de maio de 2010

8 Coisinhas frescas! Adoro!

                      Quando vi esse meme ser respondido no blog da Ju Dacoregio, achei tão simples e tocante que resolvi fazer logo. Porém escolher as imagens me faria passar por fases lindas da minha vida e eu decidi que queria curtir isso. Aproveitar! Porque as coisas valiosas são realmente as simples, e estamos tão ocupados que não degustamos, não saboreamos o que é colocado na nossa frente para ser comido com a mão. Estamos sempre esperando os talheres de prata, a taça certa, o prato principal. Eu me lembrei, com esse meme, com certas músicas, com certas companhias que eu quero é ser feliz tomando vinho em copo de requeijão e limpando a boca na barra da toalha da mesa. Mas o assunto hoje é meme,e não #mimimi então, vamos as regras:

1) Colocar o selinho e regras no blog!
2) Responder com muita sinceridade (quem sou eu, o que me faz sorrir, o que me faz chorar, a minha cor, a melhor lembrança, a música é, o filme, o pecado, o cheiro, o esporte, o hobby, o livro, o sonho), apenas com imagens (não vale responder por escrito);
3) Indicar as pessoas para responder e colocar seus links no final do post;
4) Deixar um comentários para a pessoa, avisando que ela foi indicada para a brincadeira;
5) Dizer as três lembranças mais fofas da infância.
 
1) Quem sou eu:
 
 
2) O que me faz sorrir:


3) O que me faz chorar:

4) A minha cor:

5) A melhor lembrança:

6) A música é:



7) O filme:


8) O pecado:



9) O cheiro:

*

 10) O esporte:



 11)O hobby:


12) O livro:

13) o sonho


Vou passar a vez para os blogueiros que eu adoro, e espero que o bom humor que lhes é natural, se apresente nas imagens que postarão.




Ahhh, as lembranças fofas de infância... São tão constantes que poderia tocá-las agora mesmo.

Meus exames de sangue feito em jejum. Eram as poucas oportunidades de lanchar na rua (Gente, eu era tãããooo pobre) e quando eu ia com meu pai fazer coleta de exames, ganhava um pastel de carne e ovos e um chocoleite. Lembro da gente, sentado no café São Paulo ou no Café Rio, e eu, me achando a riquinha com aquele pastel gordurento na mão.

As danças que faziamos no sábado a tarde depois da faxina. Eu, meu pai, minha mãe e meu irmão enquanto na "vitrola" rolava Leandro e Leonardo, Roberto Carlos ou congêneres. Pulávamos em cima da cama e aquelas gargalhadas felizes da minha mãe deveriam ter sido guardadas num pote, para que eu escutasse sempre que me esquecesse como é o riso dela.

O Cine Opera e "A pequena Sereia". Assisti esse filme mais de dez vezes. Minha mãe ganhava ingressos na escola, e eu, ela e meu irmão assistimos até decorar as falas. Quando saíamos do Cinema, rumavamos para a Praça do Congresso e depois almoçávamos no Eliza. (ai,eu já não era tããããoooo Pobre. Só pobre) e era um momento em que eu via meu irmão parecer um menino sem traumas, Sem medos.Um menininho comum. Ele era realmente feliz no cinema, na pracinha, no Eliza. Acho que vou convidá-lo para ir ao cinema e depois pagar um almoço. Eu ia gostar de vê-lo esquecer de tudo, e ser feliz. Feliz como esse tempo foi.


*Se alguém não entendeu, a imagem refere-se ao cheiro de terra molhada. Rá!

E é isso. O que é essencial é invisível aos olhos, mas pode materializar-se, vez ou outra.



Related Posts with Thumbnails